repete roupa!

sábado

semana 21 - sobre usar conceitos, e não looks, como inspiração


eu escrevi pedindo por ideias de post, e me responderam pedindo por: dicas de estilo, posts sobre consultoria, dicas de filme/livros/material sobre moda. tô vendo que cês tão menos interessados nas minhas reflexões sobre vida, dinheiro e consumo e mais interessados nas rôpa tudo, e eu faço tudo que meus leitores pedem.

outra coisa que acontece bastante é eu receber perguntas por comentários, tanto aqui quanto no instagram, sobre peças de roupa específicas, sobre roupa íntima (se compro, se não compro, quais que tenho pra poder não comprar por um ano), sobre tatuagem (onde vivem, do que se alimentam, dói, não dói, eu penso nas cores das tatuagens pra decidir minhas roupas?, eu escondo pra ir trabalhar?), sobre ser professora (se é legal, se é cansativo, se é estressante, quão flexíveis são meus horários, qual é o valor hora-aula ideal pra poder viver como eu), sobre livros, filmes e material geral relacionado a moda, sobre sapatos (se me livrei de todos os saltos, quantos sapatos eu tenho, por quanto tempo eles duram, quais modelos são confortáveis pra quem, como eu, fica de pé o dia todo).... recebo todo tipo de pergunta mas acabo respondendo com mais frequência e rapidez quem fala comigo através das mensagens do instagram, por motivos de é mais fácil e consigo responder diretamente pra quem perguntou. assim, muitas perguntas acabam ficando perdidas pelos comentários do blog, algumas acabam sendo respondidas em posts, mas muitas não. pra (tentar) resolver esse problema, criei esse curious cat do repete roupa, e vocês podem perguntar o que quiserem pra mim diretamente por lá (e pode ser anonimamente, pra quem preferir), e aí eu respondo, diretão pra dona da dúvida, sem ruído, interferência ou obstáculos. as mensagens do instagram e do facebook também continuam sendo um bom caminho pra quem quer respostas imediatas e particulares, e os comentários aqui do blog continuam abertos pra quem quer compartilhar pensamentos, filosofias, ideias e opiniões sobre o que eu escrevo (pode compartilhar pergunta também, só fica um pouquinho mais complicado de receber resposta).

um comentário que recebo bastante, em diferentes tons, é que meu estilo é (embora lindo, risos) muito alternativo, e acaba ficando difícil reproduzir minhas ideias quando a pessoa é mais básica, mais clássica, mais, digamos, "normal". eu, honestamente, me acho bem pouco alternativa, acredito que abaixei BEM o volume da esquisitice desde a adolescência, e acredito que se a gente tivesse menos preguiça e mais criatividade todo mundo seria tão alternativo quanto eu, no sentido de que todos nos sentiríamos seguros e confiantes pra expressar quem somos ao nos vestir. isso não quer dizer que todo mundo ia usar roupas coloridas e estampadas, que nem eu, e brincos feitos de brinquedo, que nem eu, mas que todo mundo entenderia que a roupa, uma vez que comprada, é nossa, e a gente usa como quiser.


segunda-feira

semana 20 - uma camisa jeans, 6 visus tranquilos


olha, gente, tem sido cada vez mais difícil escolher a peça da semana por motivos de o clima está uma loucura e eu tenho tido preguiça de pensar nos visus com antecedência. então acaba que visto uma roupa na segunda meio sem pensar e aí repito uma das peças usadas.

a semana 20, porém, foi ligeiramente diferente. eu comecei a semana com um compromisso adulto para o qual eu ODEIO me vestir: entrevista de emprego. então a semana foi meio ditada por essa necessidade de me fantasiar de responsável e madura. por isso, escolhi a camisa jeans: é tipo uma camisa branca, só que mais ~xófen~ e menos previsível, tem mangas longas, o que permite que eu as dobre da maneira que achar apropriada , dá pra fechar os botões e ser menina séria e dá pra abrir mais os botões e ser levemente ~sençual~ com um leve decote.... ou seja, é uma peça de roupa versátil.

aí foi bom, porque tava friozinho, mas também teve momentos ensolarados de calorzinho, e a camisa cabe nessa variação de temperatura.

fora isso, essa semana teve muita calça, muita cor neutra, muito jeans com jeans e muito azul. sinto (e vejo) cada vez mais meu estilo mudando, amadurecendo, tomando forma, e isso é graças a essa experiência louca que eu resolvi fazer esse ano.

mas vamos aos visus pra animar essa segundinha fria!




sábado

semana 20 - vamos falar sobre dinheiro (e como economizá-lo)

(ilustrado com as mensagens de wastedrita)



esse, infelizmente, não é um post daqueles estilo buzzfeed caça-clique "como economizar dinheiro em 5 passos simples" ou "como juntar tantos mil reais em x meses com apenas duas mudanças na sua rotina". eu, infelizmente, não acredito em auto-ajuda. por outro lado, eu não acreditar em auto-ajuda é ótimo, porque eu não vou tentar te convencer a fazer nada com a promessa de mudar a sua vida pra melhor. eu tô aqui pra contar como eu, aos poucos, tô mudando a minha vida pra melhor. então tudo que eu digo aqui é o que realmente acontece comigo, o que não quer dizer que você vai fazer igual - afinal, nós não somos iguais.

algo que eu tenho de sobra é poder de observação. em muitos casos eu falo pouco, mas tô sempre ouvindo e olhando tudo que acontece ao meu redor, e isso é valioso. passei uma vida inteira observando meus pais, meus avós, minha tia, e atualmente observo bastante todos os adultos ao meu redor - colegas de trabalho, amigos dos meus pais, meus próprios amigos.

mas quando a gente fala de dinheiro, preciso lembrar um pouco nos meus pais. passei a vida inteira ouvindo duas coisas sobre dinheiro: sempre ouvi que o dinheiro não era suficiente. e sempre ouvi que alguns membros da família só pensavam e só falavam em dinheiro - sempre achei essa uma colocação curiosa, porque pra mim, durante toda a infância e adolescência, o que eu sabia é que todo e qualquer adulto só pensa e só fala em dinheiro. e eu sabia que não queria, de maneira nenhuma, ser uma adulta que só pensa e só fala em dinheiro. e não sou. mas hoje vou pensar e falar em dinheiro porque acredito que eu desenvolvi, não facilmente, uma relação saudável com esse conceito não-natural que é o de ganhar dinheiro.


segunda-feira

semana 19 - um vestido chemise vintage, 6 visus incríveis


na semana 2 desse blog usei uma saia que comprei no brechó minha vó tinha e que desde então se tornou uma das minhas roupas preferidas da vida. quem me marcou no post do instagram da loja em que eles anunciavam a saia foi minha amiga kika, que há duas semanas teve outro gigante impacto fashion na minha vida: me presenteou com esse vestido, que havia sido de sua mãe, e é maravilhoso demais pra ser real.

o namo quando viu falou que parecia roupa de hospício, o que eu particularmente não achei nada mal, toda uma vibe um estranho no ninho aí que dá pra usar de referência e tudo o mais - e isso me remeteu também a orange is the new black e a vibe uniforme de prisão. mas a primeira imagem que veio na minha cabeça foi uma de um safári muito radical, tipo perdido num parque cheio de clones de dinossauros em estado caótico. também pensei em indiana jones, claro, e em a múmia, que por sua vez me fez ficar um tanto quanto nostálgica por essa época de ouro do cinema em que brandon frasier era galã. um vestido, várias inspirações, e todas elas maravilhosas da sua maneira.


também vai ter um ou outro visu colorido, mais ~~autoral~~ e menos vi em hollywood, mas acho que esse vestido merece menos papo e mais admiração, então vamos aos visus!


sábado

semana 19 - as coisas das quais eu abri mão até agora

ontem comecei a assistir aquele documentário no netflix, minimalism, pra ver se eu me inspirava pra escrever aqui. não vi o filme até o fim porque se eu for bem honesta achei meio chato mas também porque muito da mensagem que ele contém soa levemente repetitivo pra mim - tudo que eles dizem está em diversos textos pela internet afora, e achei a experiência e os relatos das pessoas do mundo da interwebs mais relacionáveis, mais interessantes e menos cheios de discursos prontos.


mas o documentário pontua algumas questões interessantes e que deveriam ser discutidas mais a fundo (especialmente pelos tais dos minimalistas desse mundão), como as necessidades criadas pelas grandes corporações que fazem com que nós queiramos sempre mais coisas e coisas mais novas. nunca me esqueço de uns dois anos atrás, quando minha mãe, após viver uns belos 27 anos testemunhados por mim, e mais alguns tantos anos anteriores à minha existência, fazendo café normalmente com coador - e na minha casa na verdade o que rolava era nescafé mesmo - exclamou: "eu PRECISO de uma cafeteira nespresso, PRECISO PARA ONTEM".


segunda-feira

semana 18 - uma camiseta masculina antiguinha em 6 versões de visu


umas duas semanas atrás eu olhei pra essa camiseta que o namo deixou aqui, olhei prum colar e pruma saia da minha vó e ~~visualizei um look. deve ser o tipo de epifania que a olivia palermo tem rotineiramente, só que com roupas novas e caras e perfeitas.

apesar de ter curtido muito a ideia do visu, enrolei pra usar porque ainda não queria repetir essa saia da minha vó e já tinha repetido camiseta que o namo largou em casa lá na semana 7. mas gemt, cores diferentes, propostas diferentes, então essa camiseta em específico era uma 9dade. e eu amo camiseta masculina entonces bora repetir.


pra quem não conhece, esse homenzinho na camiseta é o símbolo dos semáforos de pedestres na alemanha que era oriental. depois que o muro caiu, foi feita uma votação pra decidir se os semáforos seriam padronizados e a população votou por deixá-los dessa maneira. na época da alemanha dividida, o homenzinho do semáforo (der ampelmann em alemão) foi criado para que os cidadãos tivessem um símbolo com o qual se identificassem, que causasse empatia e ~~deixasse o coração quentinho. tudo isso eu aprendi nesse link aqui, que o próprio namo me mandou.

gostei muito de repetir essa camiseta, acho as cores dela mara (como dizem os jovens) e goste muito mais dos visus dessa semana do que da semana 7 com a camiseta do pac man. mas noto que tenho acertado cada vez mais nos visus, noto que meu estilo está se desenvolvendo e amadurecendo, mas sei lá, talvez seja coisa do meu cérebro (que não é lá muito constante).

mas vamos aos visus!  (que hoje tem repetição surpresa de uma peça extra e visu improvisado)




sexta-feira

semana 18 - uma conversa sobre estilo pessoal

quem assistiu a versão do diretor de quase famosos talvez lembre de uma cena em que russel diz a penny lane que ela nunca vai se aposentar (dessa ocupação maravilhosa que é ser gruppie) e que a ~~cena~~ musical da época jamais se cansaria dela e de seu casaco verde que ela usava até no verão.


na época do filme, que assisti meio sem querer e sem saber do que se tratava, eu tinha uns 14 anos. saí do cinema apaixonada, mais convicta ainda do que antes de que música salva vidas, sonhando ter uma carreira como jornalista de música, imaginando em que mundo eu teria a sorte e a chance de william de sair em tour com uma banda de verdade e de escrever numa revista de verdade sobre a experiência. aos 14 anos (e beeem até os meus 18, 19, 20 anos), música era tudo pra mim.