repete roupa!

segunda-feira, 17 de julho de 2017

semana 28 - uma saia midi estampada, 6 visus coloridos


tenho no pinterest uma pasta que nomeei "armário dos sonhos", e entre as fotos de roupas que eu adoraria ter e vestir estavam essas, de saias todas com um conceito em comum: a estampa que remete a arte abstrata.


como vocês podem ver, a obsessão não era pouca. quando eu encontrei, totalmente sem querer, essa saia plissada na vida real, tive aquele misto conhecido de sentimentos - por um lado, quis sair pulando pela loja de felicidade (ACHEI UMA ROUPA DO PINTEREST!!!! ACHEIIIIII UMA ROUPA DO PINTERESSSSST!), por outro, meu coração foi partido porque o preço da saia estava bem acima do que eu costumava gastar com roupa. experimentei, tirei, experimentei de novo, olhei pro preço na etiqueta, decidi deixar a saia lá, voltar pra casa e pensar. saí da loja, dei uma volta de 3 minutos, achei que era tempo o suficiente pra ter tomado uma decisão e levei a saia pra casa.

sabe quando a gente lê por aí que é melhor gastar mais dinheiro em uma peça única, bela, de qualidade e que você vai usar muito, do que gastar pouco dinheiro em várias roupas de qualidade ruim que você vai ter que substituir após pouco tempo? essa saia é a prova disso. valeu cada centavo. e pra ser honesta, depois que eu comprei e usei umas duas ou três vezes, achei que eu tinha esgotado as possibilidades da saia e a passei adiante - pra minha irmã. algumas semanas atrás a resgatei (minha irmã não tava usando) e foi o melhor presente que eu dei pra mim mesma pela segunda vez.


a lição aqui é essa: aquelas roupas que a gente ama mas acaba não tendo muita criatividade pra usar? guarda por um tempo, tira de vista, e depois de uns seis meses tente um reencontro (mas atenção: isso vale pra ROUPAS não pra ex-namos). a redescoberta da roupa funciona melhor se você não lotar seu guarda-roupa de coisas novas durante esse tempo, afinal esse é o exercício - descobrir preciosidades entre as coisas que a gente JÁ tem. até porque você já gastou seu precioso dinheirinho nessas roupas, não é melhor descobrir novas possibilidades em algo no qual você já investiu do que gastar michelzinhos com coisas novas que podem acabar também paradas no fundo do armário?

uma coisa que aprendi nesses seis meses repetindo roupa é que a gente sempre vai querer uma coisinha nova. mesmo sem comprar nada esse ano e exercendo minha capacidade de usar MESMO as roupas que já possuo, eu já tenho minha wishlist pra quando for voltar a comprar. até eu, com meu discurso do não compre e conheça a fundo as roupas do seu armário, não estou imune aos desejos. ainda mais agora, que passo uma parte do meu tempo no instagram, que tá cheio de molieres usando roupas lindas de marcas sustentáveis, feitas no brasil, pensadas com carinho e cuidado. QUERO COMPRAR TUDO. a diferença entre a mel de agora e a mel de um ano atrás, é que agora eu tô me
entendendo muito melhor: sei como me vestir pra satisfazer a mim mesma, sei que roupas tem funcionado, e sei muito bem as deficiências do meu guarda-roupa. ou seja, tá bem fácil sacar a diferença entre querer e precisar. e é nessas que a gente aprende a lidar com os desejos, a ver os produtos nas lojas com outros olhos e a evitar comprar o que é desnecessário.

olhei esses dias pra uma bolsa azul pequena que comprei na renner ou na c&a uns dois anos atrás - lembro que vi aquilo e quis muito, eu PRECISAVA dela, afinal ela era linda e azul e ia substituir uma bolsa amarela que tava acabandinho. resultado: continuo com a bolsa amarela, e a azul depois de pouquíssimo uso tá gasta e feiosinha e no meu montinho de coisas a serem doadas. hoje consigo reproduzir com clareza esse caminho - do PRECISO MUITO a NÃO QUERO MAIS - em tudo que vejo nas lojas. e isso é importante: conseguir enxergar o futuro daquela peça se ela for pra dentro da sua casa. e o mais legal disso tudo é que agora pouquíssima coisa me atrai nas lojas. sempre penso "minhas roupas são melhores que essas". quão incrível é isso? e vejam bem, não é porque minhas roupas são ALL THAT nem nada assim; tenho muita coisa da renner, c&a e riachuelo, alguns achados de brechó e da zara e coisas que herdei da minha família. roupas como essa saia plissada são a minoria. e mesmo assim, tenho preferido o meu guarda-roupa a qualquer loja quase sempre.

e depois desse belo textão vamos aos visus!



sexta-feira, 14 de julho de 2017

semana 28 - vamos falar de coisa boa: sapatos


eu recebo várias mensagens e comentários pedindo pra que eu escreva sobre sapatos. o que exatamente vocês querem que eu diga sobre sapatos eu não sei direito, então vamos começar pelo óbvio.

sapatos servem pra cobrir nossos pés e protegê-los das intempéries afinal nosso design é falho bagarai e não era pra gente ter realmente sobrevivido nesse mundo inóspito, mas aí a gente calçou uns sapatos e seguimos vivendo.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

semana 27 - uma camisa com estampa 80s, 6 visus radicais


começamos a semana com música mais uma vez! algumas semanas atrás namo me mostrou o clipe novo do paramore e eu não apenas amei como fiquei levemente viciada. me fez ter vontade de voltar pras cores e nunca mais me vestir de cinza na vida. além disso apareceu no meu feed do pinterest a seguinte foto de ruby rose trajada da seguinte maneira:


o que automaticamente me lembrou muito das roupas na primeira temporada de narcos e também desse texto que escrevi sobre a moda das séries dos anos 90.


na semana passada comentei que abri minha grande mala de desapegos e reencontrei algumas preciosidades que voltaram pro meu guarda-roupa: essa camisa foi um desses tesouros. como eu pude sequer ter cogitado me livrar dela é algo que não consigo compreender, mas o que importa é que a recuperei - junto com algumas outras roupitchas, o que fez parecer que eu fiz compras, mas foi melhor ainda porque eu não gastei dinheiro. aconteceu também que o namo fez esse flyer da horíssima pra oficina que dei semana passada e ele também super me inspirou a usar essa camisa.

essa semana fez friozão, fez friozinho, fez calorzinho, então tem sobreposição, tem camadas, tem casacão divo, tem visu basicão, tem mix de estampas, tem de tudo um pouco, então bora lá!


quarta-feira, 5 de julho de 2017

semana 27 - sobre educação, moda e os perrengues das duas áreas

(mega textão à vista, mas a elle woods tá aqui pra te dar força do começo ao fim)



outro dia uma amiga comentou que desperdício de potencial humano é o sistema de trabalho e educação atual, que afasta profissionais de áreas diferentes exigindo especializações cada vez mais minuciosas numa coisa só, ao invés de promover interação, troca de conhecimento, vontade de aprender coisas diferentes e trazer perspectivas diversas pra dentro da nossa própria área.

segunda-feira, 3 de julho de 2017

semana 26 - ESPECIAL LEANDRA MEDINE


vamos começar o post com música hoje porque preciso contar um causo: lá pra 2013 eu descobri a banda the noisettes, mais especificamente descobri essa música e esse clipe acima, e desde então um dos meus sonhos de consumo é um par de botas prateadas. nunca comprei porque eu sei que a gente tem memória curta e acha que as coisas sempre foram como são, mas lá em 2013 não era tão fácil achar essa variedade de sapatos, acessórios e roupas diferentes, divertidas, e etc que encontramos por aí hoje em dia.

também preciso admitir que talvez se eu tivesse comprado botas prateadas lá em 2013 eu não as teria usado muito, como muitos dos sapatos maravilhosos que comprei na vida. porém a gente sabe que good things come for those who wait e essa semana eu ganhei da minha mãe esse par de botas incrivellllllllllllll e nunca mais tirei do pé - porque além de incríveis essas botas são extremamente confortáveis.


a minha sorte é que acredito que botas prateadas são super adequadas ao tema dessa semana celebrativa, pois me parece que é um item de vestuário que leandra medine aprovaria. pelo menos alguma coisa nesse post seria aprovado por leandra medine, porque os visus, sendo muito honesta, falharam em ter aquele TCHANS man repeller que eu queria. mas queria deixar claro: não é fácil, gente, tentar emular as escolhas de uma das molieres mais incríveis do mundo da moda, ainda mais quando a mulher em questão ficou conhecida por se vestir de forma tão esquisita, mas tão esquisita, que depois de ficar solteira por anos voltou com um ex e casou com ele, porque arranjar boy novo não tava sendo uma tarefa simples. (claro que sabemos que não nos vestimos pra conseguir hómi, mas era uma grande brinks entre leandra e az'amiga tudo, e virou blog, e foi sucesso total).


alguns dos looks de leandra que eu escolhi pra me inspirar não eram meus favoritos, nem os mais inovativos da moça, mas lembremos que meu guarda-roupa é bem mais limitado que o dela, e minhas roupas tem que se adequar a uma rotina e um trabalho que nada tem a ver com moda. mas tentei, acho que considerando tudo até que consegui, e os visus não ficaram nada mal (talvez).

vamos aos visus!

OFICINA - FIGURINO: PENSANDO NO PERSONAGEM



alô alô, você que:
- tem 11 anos ou mais ou tem filhos a partir dessa idade;
- gosta de teatro, desenho animado, figurino e se expressar artisticamente;
- está a procura de atividades diferentes, divertidas e interessantes pra essas férias de julho!

na oficina "figurino: pensando no personagem" vamos analisar e entender a escolha dos figurinos de alguns dos seus personagens preferidos de desenho animado, séries e filmes, pra depois botar a mão na massa e pensar nos figurinos de algum personagem de sua escolha!

a oficina acontece na EDA - Escola de Desenvolvimento Artístico, que fica na Granja Viana, zona oeste de SP, e pra se informar e se inscrever é só ligar pra (11) 4617-3885.

tem algum amigo, amiga, parente ou colega que se interessaria? avisa!

espero vocês (o:

sexta-feira, 30 de junho de 2017

semana 26 - gosto do que vejo: sobre infância, beleza e tatuagem



eu sempre me achei feia, desde criança. existe um limbo na infância em que a gente ainda não sabe sobre ser feio e ser bonito, ser menino e ser menina, a gente é só criança. vejo isso nos meus alunos de 2 anos - meninos e meninas brincam sem problemas com carros e bonecas, de casinha, de cozinhar e de família, pedem papel rosa pra desenhar, ou verde, ou azul ou branco. não existe brincadeira de menino ou cor de menina ou coisa certa pra se falar ou jeito certo de se sentar que depende do seu gênero.

isso dura muito pouco. aos 4 eles já dizem coisas como "isso não é de menina" - e obviamente eles aprendem isso observando o nosso mundo, o mundo dos adultos. e isso é uma tristeza, porque por mais que alguns de nós declamem o discurso de que meninos e meninas podem todos fazer as mesmas coisas, tem as mesmas capacidades, os mesmos potenciais, as crianças aprendem pelo exemplo e não pelo discurso. e o que eles realmente vêem? na escola, mulheres são professoras, babás e faxineiras; homens consertam problemas técnicos de eletricidade, móveis quebrados, cortinas que caíram. no clube, mulheres cozinham e servem a comida, dão aulas de balé e ginástica rítmica; homens usam uniforme de segurança e dão aula de futebol e natação. em casa, o pai vai pro escritório trabalhar, a mãe leva pra escola, busca na escola, leva pra tomar água de coco, sabe onde está a chupeta e o paninho que a criança precisa pra dormir.