repete roupa!

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

NÃO AGUENTO MAIS A CIDADE - uma semana de visus praieros em sp


cara, né por nada não, mas tem uma hora que não dá mais.

sabe quantas vezes eu fui à praia em 2017? uma. uminha lá na semana 2 porque mamãe querida me levou prum bate e volta. e sabe o que? TAVA CHOVENDO. entrei no mar mesmo assim não me importo com chuva ou sem chuva eu ia ficar molhada do mesmo jeito, mas o objetivo da história é: eu não aguento mais a cidade.

nesse fim de ano fiquei aqui todos os dias, e se por um lado é bom - cidade vazia, trânsito massa, tempo livre - por  outro foi difícil pra mim esse ano me desligar um pouco e curtir a folga. fim de ano turbulento, muitos sentimentos ruins, e acabei ainda não conseguindo me des-estressar, relaxar ou sequer genuinamente me divertir.


então na primeira semana de 2018 decidi que se não vou até a praia e a praia também não vem até mim, nada melhor que fingir com roupa. então você aí que também tá com os biquinis e os maiôs encostadões sem uso, cola na minha que o post de estréia de 2018 teve 5 visus de roupa de banho na cidade grande.

e, né, seria melhor se tivesse tido, né, um marzinho, um mergulho, uma areia nos meus pés e dentro de todos os meus orifícios (não sei vocês mas isso acontece comigo, taí uma vantagem de NÃO estar na praia), masssss teve eu me vestindo como se houvesse qualquer possibilidade de encontrar uma praia virando alguma esquina cinza.

ps: tô aceitando convites pra ir pra praia

sábado, 6 de janeiro de 2018

UM ANO DE REPETE ROUPA? VAI TER CELEBRAÇÃO!



gente, não consigo nem acreditar que deu certo: EU REPETI ROUPA POR UM ANO! sem comprar uma única pecinha de roupa eu usei absolutamente tudo que havia no meu armário, não repeti um lookzinho sequer e provei pra mim mesma que dá pra usar muito tudo que eu já possuo.

pra comemorar, vai rolar bazarzão de trocas de roupas - e só acontece se vocês participarem! pra confirmar sua presença no evento, só clicar aqui. quer entender como vai acontecer? cola na minha!

vamos celebrar UM ANO DE REPETE ROUPA com um evento máster bláster da hora: um bazarzão pra gente trocar aquelas roupitchas ótimas que tão paradas sem uso no armário!

vai ter:
- brechózão lindão cheio de achados (vem achar seu maiô baphão pra usar no carnaval!)
- docinhos e comidinhas!
- muuuuitassss roupas pra gente trocar e renovar o guarda-roupa sem gastar um tostão e sem contribuir para o descarte, consumo e utilização de recursos naturais!
- musiquinhas, gente legal, e pra quem quiser vir curtir o dia pré-carnaval com a gente, rola até trazer seu isopor com refrescs!

se interessou? quer participar? préstenção nas informações:

1. quem quiser trocar roupa vai poder selecionar e trazer até 15 peças de roupa pra botar pra jogo no bazar;
2. cada peça de roupa te dá um crédito pra escolher e adquirir uma peça de roupa no evento - trouxe 15 itens, pode levar 15 itens, trouxe 5, pode levar 5, etc.
3. não quer tanta roupa? você pode compartilhar seus créditos com as migas que não puderam trazer nada pra trocar!
4. as roupas que não forem trocadas NÃO SERÃO DEVOLVIDAS, e serão encaminhadas para DOAÇÃO após o evento.

+ para participar e trocar suas roupas, a primeira coisa que você tem que fazer é se inscrever nesse link: https://goo.gl/forms/kx2siLiACbg8MKBA2 - AS INSCRIÇÕES VÃO ATÉ DIA 3 DE FEVEREIRO.
+ se inscreveu? tem que escolher onde você quer deixar as roupas, pra gente te contactar e combinar um horário legal. por quê? a gente precisa ver as roupas na hora e avaliar se elas estão em bom estado e aptas pra encontrarem novas donas!
+ combinou local e horário? você tem até dia 3 de fevereiro pra deixar as roupas com a gente - assim, teremos tempo de organizar tudinho pro evento ocorrer sem grandes comoções!

no dia 10, a partir das 11h, vai rolar nossa festeenha de niver do Repete roupa e curtição pré-carnavalesca com roupinhas novas de troca no Devant Vintage Brechó.

-INSCRIÇÕES VIA https://goo.gl/forms/kx2siLiACbg8MKBA2 ATÉ 3 DE FEVEREIRO
-ENTREGA DAS PEÇAS DE ROUPA ATÉ 3 DE FEVEREIRO
-EVENTO DIA 10 DE FEVEREIRO, DAS 11h ÀS 20h
Av Prof. Alfonso Bovero, 399

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

semana 52 - a semana final em 5 visus com body dos rugrats (e um visu extra de ano novo)


terminei a semana 51, na noite de natal, usando uma calça branca de linho e um colete vintage da minha vó. a calça era nova - em dezembro aproveitei o fim do meu desafio de ficar sem comprar supérfluos por um ano e comprei roupitchas novas, além de colocar várias das velhas pra vender - e eu tinha decidido que ia usar o gancho do visu da ceia e já usar a calça na semana 52 inteira, inclusive no reveillón.

só que aí aconteceu que ganhei de natal esse body dos rugrats. dos rugrats, minha gente. e aí só usei a calça branca no almoço de natal, dia 25, e aí me joguei na brusinha de desenho animado - que você tira a infância da moça mas não tira a imaturidade, pfv.


então na semana final do meu desafio de repetir roupa por um ano foi isso que rolou: roupa da nickelodeon. mas né por nada não, os visus ficaram ótimos.

e vamos a eles.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

semana 52 - A SEMANA FINAL: e o que acontece ano que vem?



bom, gente, nesse exato momento está acontecendo a semana 52 do meu desafio. a semana 52, no caso, sendo a última semana do ano representa o fim do meu desafio de repetir roupa por um ano, e aí eu tô aqui empacada com um blog que chama repete roupa e sem precisar mais repetir roupa a partir da semana que vem.

e agora, melzinha?
a roupa acabou
o blog sumiu
o povo deu unfollow
o ano terminou
e agora, melzinha?
e agora, galera?

nada disso acontecerá! se tem algo que não falta na minha cabeça é ideia desmiolada pra alimentar blog. 

nos últimos meses eu tive algumas ideias diferentes pra tentar dar um rumo legal a essa singela página a partir de 2018, mas me ative às mais factíveis pra mim no momento: alinhei tudo que deu certo esse ano com os objetivos que gostaria de alcançar pro ano que vem e que sei que conseguirei fazer - considerando que estarei trabalhando em outras escolas com carga horária diferente e minha rotina no geral vai mudar, preferi me ater ao simples do que querer mudar radicalmente meus hábitos só porque o ano mudou.

em 2017 eu fiquei o ano todo sem comprar supérfluos e repeti uma peça de roupa semanalmente, pra exercer minha criatividade, aprender a amar as roupas que eu já tinha, entender que o limite do meu guarda-roupa não é meu limite do cartão e sim minha capacidade de imaginar novos jeitos de usar o que eu possuo. deu certo? deu muito! usei todas as roupas que eu tinha, me livrei de bastante coisa durante o ano, não adquiri nada novo e nunca me senti frustrada ou sem ter o que vestir.

terça-feira, 26 de dezembro de 2017

semana 51 - uma saia jeans upcycled, 5 visus sustentáveis (e um visu extra de natal)


alouuuu amigos e amigas, espero que as festanças natalinas tenham sido proveitosas. a semana 51 tá saindo atrasada por motivos de não deu pra lidar muito com a vida essa semana, mas agora que natal passou talvez as coisas se acalmem.

a saia que escolhi pra semana 51 (A PENÚLTIMA SEMANA, GENTE, vocês tão entendendo o nível do meu orgulho de mim mesma???) foi minha primeiríssima compra após um ano sem comprar roupas - uma saia jeans de botões da c(+)mas, loja sobre a qual falei no post sobre iniciativas de upcycling. eu postei as peças da c(+)mas com preço, e tanto aqui no blog quanto no instagram algumas pessoas comentaram sobre a inacessibilidade da moda sustentável. como ser sustentável e responsável se as roupas com essa proposta são tão caras?


bom, vamos lá: eu comprei uma saia e uma camisa da c(+)omas, e com o desconto de 15% que eles me deram, paguei 552 reais nas duas peças. a gente pode dizer que cada uma das peças saiu por uns 270 reais. é caro? bagarai. por outro lado, passei o ano todo sem comprar nada. não gastei dinheiro com roupas compradas no impulso, nem com liquidações, nem com nenhum tipo de fast fashion. eu optei por não gastar dinheiro com roupas e outros supérfluos por um ano. isso quer dizer que todo o dinheiro que eu costumava gastar principalmente com roupas ficou guardadinho. e parem pra pensar comigo: quanto dinheiro você gastou em um ano com roupa? somando todas as blusinhas da renner que a gente compra em um ano, não dá facinho uns 300 reais? sei lá, aqui desse lado da tela dava. 

umas semanas atrás, num momento de tristeza e de querer jogar tudo pro ar, entrei na zara pensando que se foda vou é torrar toda minha grana em roupa nova e ser feliz. qualquer merdinha da zara custa 300 reais, gente. e é tudo cópia, tudo reprodução, tudo feito com trabalho semi escravo e com zero fiscalização de todo o processo de manufatura. ou seja, não tem nem um trabalho criativo por trás, não tem gente pensando e criando com cuidado, não tem nada.

me parece, cada vez mais, que fazemos escolhas muito claras. quer investir numa peça de roupa sustentável, quer contribuir com marcas e inciativas que estão focadas em fazer de seus produtos e seu mercado algo melhor pro nosso mundo, quer ter uma relação mais consciente com seu consumo e com suas necessidades? faz esse exercício da escolha. ao invés de gastar, em diversos períodos do ano, com roupas de preço baixo, que a gente costuma chamar de "acessíveis" (acessíveis pra quem? com certeza não pra quem tá lá costurando as roupa tudo), escolha juntar o dinheiro de todas as blusinhas baratinhas e, após realmente pensar no que você precisa e no que você sente falta no seu guarda-roupa, escolha investir em uma peça única, de valor maior, mas feita com mais cuidado em todos os sentidos: na escolha do material, no desenvolvimento do design, na atenção com todos os envolvidos na fabricação daquilo.


o valor da roupa barata, gente, tá escondido. quem viu o documentário the true cost tá ligado nisso, mas não precisa nem assistir pra entender o real valor das coisas e o valor que a gente tá disposto a pagar por elas. um tempo atrás li no vivendo à vista esse post sobre o real valor de um sanduíche do mcdonalds. e é uma leitura muito boa, porque temos com a comida a mesma relação que temos com a roupa: uma ilusão de que devemos pagar um preço baixo que consideramos justo, em conjunto com nossa total cegueira para o processo necessário pra fazer aquilo e todos os gastos do caminho - se não é o consumidor final pagando pelos gastos, pode ter certeza que a gente ou outras pessoas tão pagando de outras maneiras - normalmente maneiras piores do que abrir a carteira e entender que precisamos investir nas coisas pra termos, em resposta, coisas de qualidade e que nos façam bem.

depois desse textão, vamos aos visus, que é o que importa, né?

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

semana 51 - que tal moda upcycled?


a verdade é que mesmo a marca sustentável, local, transparente e responsável não é lá 100% sustentável - só de produzir e usar tecido novo vai tanta água mas tanta água, vai tanta energia, que eu considero que o desperdício não se justifica num mundo onde já tem tanto tecido dando sopa por aí, tanta roupa sendo jogada fora sem uso. dizem que aqui no brasil anualmente são descartadas 170 mil toneladas de rejeitos da indústria têxtil, imagina no mundo todo.

mas existem maneiras de lidar melhor com esses rejehitos e rever nossa relação com descartes do que é "ultrapassado".

a farm, marca que já teve algumas de suas políticas criticadas, lançou recentemente, em parceria com a marca de upcycling re-roupa, uma coleção feita apenas com restos e rejeitos da indústria têxtil: retalhos, peças com defeitos, tecidos restantes de coleções já ultrapassadas. é um passinho em direção a uma relação mais justa com roupa, com tecido e com a produção e o consumo dessas coisas.

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

semana 50 - um kimono maravilhoso, 5 visus da superação


se tem uma coisa que não dá pra negar é que o fim do ano traz um certo respiro e uma sensação de possibilidades pro ano seguinte. eu tento fugir dessa sensação porque no fundo nada disso é real - não existem ciclos nem fins nem novos começos, é tudo uma linha longuíssima e ininterrupta de vida que apenas acontece sem parar. mas o fim do ano é capaz de deixar a gente com aquele feeling de verossimilhança, de que as coisas acontecem porque tem que acontecer e que portas novas se abrem quando outra fecham. todos os clichês, etc.

esse ano tô me deixando levar por esse feeling. semana passada foi uma tristeza só, vocês devem ter notado, mas foi só o ápice de alguns meses de merda, e aí depois do ápice vem sempre a queda né. então tô me deixando cair pra bem longe das bad vibes todas. ainda não sei se tá funcionando, não sei nem se a estratégia vai durar muito tempo (afinal quanta merda ainda pode estar à espreita apenas esperando seu momento de aparecer, né), mas por enquanto tem sido bom.


e esse kimono que já tenho há alguns anos e do qual já pensei em me desfazer tantas vezes foi meu companheiro nessa semana de altos e baixos. e, ao contrário da semana passada, quando odiei todos os visus, essa semana fiquei mais satisfeita, me senti mais bonita, mais confortável, mais eu mesma. o que só me deixou ainda mais segura com todas as roupas que coloquei pra vender - e me fez achar que as roupas que decidi manter por aqui, esse kimono inclusive, são as roupas que eu realmente quero cobrindo meu corpo.

então vamos ao visus (e se segura que só faltam duas semanas pra esse desafio doido acabar!)