repete roupa!: semana 51 - que tal moda upcycled?

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

semana 51 - que tal moda upcycled?


a verdade é que mesmo a marca sustentável, local, transparente e responsável não é lá 100% sustentável - só de produzir e usar tecido novo vai tanta água mas tanta água, vai tanta energia, que eu considero que o desperdício não se justifica num mundo onde já tem tanto tecido dando sopa por aí, tanta roupa sendo jogada fora sem uso. dizem que aqui no brasil anualmente são descartadas 170 mil toneladas de rejeitos da indústria têxtil, imagina no mundo todo.

mas existem maneiras de lidar melhor com esses rejehitos e rever nossa relação com descartes do que é "ultrapassado".

a farm, marca que já teve algumas de suas políticas criticadas, lançou recentemente, em parceria com a marca de upcycling re-roupa, uma coleção feita apenas com restos e rejeitos da indústria têxtil: retalhos, peças com defeitos, tecidos restantes de coleções já ultrapassadas. é um passinho em direção a uma relação mais justa com roupa, com tecido e com a produção e o consumo dessas coisas.


coleção com reaproveitamento de tecidos descartados da farm + re-roupa

além da re-roupa, que faz um trabalho super interessante, modernoso e colorido com isso que os jovens chamam de upcycling, separei algumas marcas que tem essa mesma iniciativa: a de dar um jeito em tudo que sobra e usar o maravilhoso poder do design pra transformar as sobras em algo novo, sem ter que produzir matéria-prima nova.

.thinkblue - a thinkblue trabalha majoritariamente com jeans, e transforma peças descartadas feitas de material de alta qualidade em designs novos, estruturados com recortes geométricos bemmm diferentões. mas o que é mais legal da thinkblue é que na loja virtual eles detalham exatamente quanto tempo a roupa levou para ser feita, quanta água e energia levou, quem costurou, ao lado de todos os custos, inclusive os de mão de obra. e aí propõe que o comprador diga quanto considera um valor justo para pagar naquele produto. é muita honestidade, cara, é muita vontade de ser da hora! que lindo!


.recriar lab - na recriar lab dá pra você enviar aquela roupa que você até meio que curte ou que tem algum valor sentimental mas você não consegue usar e eles transformam em algo novo pra você, exclusivo e único. também dá pra você doar calças jeans - que eles usam pra fazer upcycling e criar outras roupas lindas - e ter 15% de desconto ao comprar deles. dá pra fazer uma encomenda ou comprar algo que eles tem à venda - é tudo peça única, é tudo um floco de neve, especial e diferentão de todas as outras coisas que existem no mundo. e tudo usando calça jeans e roupa véia! só amor.


.joana uchôa - a joana propõe uma maneira incrível de transformar roupa usada em coisa linda e nova: ela garimpa peças de qualidade e as customiza fazendo arte: ela cria estampas magníficas, todas feitas à mão. e você pode enviar sua peça de roupa, desde que seja de tecido natural (algodão, por exemplo) e não sintético (poliéster não rola), escolher uma arte da página dela como inspiração e pedir pra que ela pinte algo exclusivo pra você. é vestir uma obra de arte, gente, olha o luxo, olha o privilégio.


.maria quer mudar o mundo - ao invés de comprar roupas de iniciativas e marcas que trabalham com upcycling você quer aprender a customizar e transformar suas próprias roupas? aqui no maria vem com as outras tem váriossss tutoriaissss simples de fazer pra dar uma chacoalhada naquelas roupas que você não usa muito. ao invés de depenar suas roupas e correr o risco de ficar tudo uma merda e você não ter nem as roupas velhas de antes nem as novas recauchutadas, também dá pra achar umas modelagens pra fazer roupitchas do zero: só comprar o tecido e arranjar uma máquina de costura (pode ser emprestada!) e mandar bala. 



.c(+)mas - a c(+)mas usa como matéria prima pras suas criações as camisas descartadas pelas fábricas de roupas masculinas: camisas com pequenos defeitos, camisas que não passaram no controle de qualidade e não seriam comercializadas. dessas camisas, a marca cria saias, vestidos, camisas femininas, uma variedade de peças fofas e vai-com-tudo (especialmente as feitas de jeans!). 

a coisa mais legal dessa loja é que eles propõe uma experiência de compras única: você se cadastra no site, preenche informações de tamanho e preferências, seleciona algumas peças que gostaria de experimentar e elas mandam uma maleta cheia de coisinhas escolhidas a dedo. dá pra ficar 3 dias com a maleta, experimentar tudo, montar visus com o que a gente já tem no armário, escolher o que gostar e devolver a maleta com o que não quiser. o pagamento pode ser feito via depósito bancário ou cartão de crédito e é tudo muito bacana e prático.

eu, claro, tive que experimentar o rolê, e depois de separar muita roupa pra vender e doar e ficar um ano sem comprar nada, tava afim de testar maneiras mais conscientes de renovar algumas peças do meu guarda-roupa. essas são as peças que recebi, com preço, e minhas singelas opiniãozinhas:

 ciganinha feita de camisa (r$275)


gemt, achei essa ciganinha nessas cores bebê meio cara de scrubs de hospital sabe? a proposta é fofa, masss não rolou pra mim. e, assim, achei o preço ligeiramente caro pra uma customização que não é tão difícil de fazer pra quem tem em mãos tesoura, elástico e máquina de costura. claro que a minha ciganinha feita de camisa não sairia tão caprichadinha como essa, mas a real é que eu nem faria uma cigainha porque não curto. então talvez esse tenha sigo o problema dessas blusinhas pra mim?

 minissaia e shorts (r$245 cada)


achei tanto a saia quanto o shorts bem fofos, fresquinhos e confortáveis. mas também achei os dois levemente volumosos, e eu já sou naturalmente volumosa na bunda e quadris, então não achei as melhores opções pra mim. gosto muito que tudo tem bolsos, os designs são pensados com carinho e atenção ao que é prático além de bonito.

  saias de camisa (r$380)



gosto da ideia dessas saias feitas de camisa (afinal, pra quem já usou camisa como saia algumas vezes, é apenas uma evolução), mas acho que essas camisas sociais tem um tecido de caimento tão duro, tão sem movimento, que me senti meio rígida demais. a vantagem é que elas são 100% ajustáveis, cabem em muitos tamanhos mesmo. olha aí o cuidado e a atenção de novo, né?

  camisa sem mangas (r$270) e camisa cropped (r$165)


gemmmmt eu achei essas camisas o máximo! sem mangas, larguinhas, fresquinhas, diferentonas e ainda por cima produzidas de maneira sustentável utilizando descartes da indústria. taí um investimento legal pra quem usa bastante camisa (não é meu caso) e precisa de umas peças chaves mas não quer ser entediante e igual a todo mundo. a mais curtinha achei uma graça, coisa fofa e divertida. 

   as campeãs: saia jeans (r$380) e camisa jeans (r$270)


bom, gente, eu conheci a c(+)mas quando vi essa foto aqui do hoje vou assim off e me apaixonei por essa saia. não se enganem pela minha foto do tipo selfie horrorosa, essa saia é amor puro. eu vendi a saia de botões que eu tinha e que era muito popular por aqui, mas a cor me incomodava e tava à procura de uma saia de botões que substituísse a anterior e fosse mais neutra. essa saia jeans respondeu às minhas preces. a camisa eu também tinha visto no hoje vou assim off mas ela não tinha me convencido virtualmente. ao vivo me apaixonei sem volta: ela é diferentona e sai do óbvio, mas continha sendo básica e apropriada pra qualquer ocasião. 

essa semana tô repetindo a saia jeans e na segunda vocês vão poder ver todos os visus que montei com ela - até agora tô amando todos e, já que tava repetindo roupa upcycled, sustentável e responsável, decidi me propor um mini desafio extra essa semana: além de repetir a peça a semana toda, só posso combiná-la com roupas de segunda mão. assim, faço uma semana de visus sustentáveis. 

e bora tentar consumir cada vez mais conscientemente!

3 comentários:

Anônimo disse...

Os modos de produção e o conceito podem até ser sustentáveis, mas 380 por uma saia é fora da realidade da maioria das pessoas... De que adianta ser cool e inacessível? :(

Anônimo disse...

Esse é o meu grande problema. Eu me interesso muito por essas coisas, mas não tenho condições de apoiar essas marcas. Então eu compro roupas mais acessíveis e tento sempre fazer uma compra bem pensada, que eu vá usar muito, mesmo que ela não seja uma qualidade boa. Afinal, é o que eu, como estudante, posso bancar no momento... Deveria haver um meio termo entre preço e sustentabilidade/slow fashion...

Anônimo disse...

Não acredito que perdi a oportunidade de comprar a saia midi roxa de botões!!!!!! :'((((

Bia (snif)